Informação sobre gonorreia, causas, sintomas e tratamento da gonorreia, identificando procedimentos para a sua cura ou para sua prevenção.


Sintomas da gonorreia

Na mulher, um pouco de corrimento (uma secreção clara e esbranquiçada) pode ser considerado normal, já que mantém a vagina limpa.
Mas essa secreção deve ser discreta e não sujar mais do que uma calcinha por dia. Quando a quantidade de secreção for maior e o seu aspecto mudar, então há uma situação anormal. Há vários micróbios que podem causar isso entre eles o vírus da gonorreia.
A gonorreia é uma das Doenças Sexualmente Transmissíveis  (DSTs) mais comuns e é de fácil tratamento. Tem como principal manifestação clínica o corrimento uretral abundante e purulento (mesmo existindo casos com pouca secreção).
No homem, os sintomas de gonorreia aparecem após um período que vai de dois a dez dias do contato sexual. Primeiro, nota-se uma secreção amarela-esverdeada e viscosa, em grande quantidade na uretra (canal do pénis); depois, a pessoa sente ardência, sensação de formigamentos e dor ao urinar. Ocorre também a inflamação do prepúcio, edema e hiperemia do meato uretral. Esse quadro retrata a fase aguda da doença e é nela que o diagnóstico é mais fácil.
Não sendo tratada imediatamente, pode levar à infecção na próstata e nos testículos, epidídimos, articulações, pele e endocárdio). Além disso, embora seja raro, a gonorreia, ao evoluir, causa lesões em articulações, no fígado e até no cérebro.
Na mulher, o quadro agudo se traduz por corrimento intenso e fétido, mas na maioria dos casos ocorre a inflamação do colo do útero, sintomas urinários inespecíficos, inflamações das glândulas para-uretrais (o que é conhecido como quadro Frusto). Existe também, o risco da deformação das trompas com risco de infertilidade. Em casos graves pode até ocorrer a formação de abcessos intraabdominais.
Pode dar inflamações na garganta ou no ânus se estes foram os locais por onde entrou o micróbio.
É importante procurar seu médico (urologista/ginecologista) ou um posto de saúde quando houver um dos sintomas, pois uma das maiores dificuldades para diagnosticar a doença é o tratamento inadequado indicado por vizinhos e, principalmente, por balconistas de farmácias. Isso mascara os sintomas e os resultados de laboratório, retardando o diagnóstico e, consequentemente, o tratamento. Através do exame físico e testes de laboratório, o diagnóstico pode ser feito com segurança e a medicação correta administrada. Não há tratamento caseiro.
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL